Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Entenda por que é importante vacinar seu filho Saúde da Criança

Home > Matérias > Saúde da Criança > Entenda por que é importante vacinar seu filho

Entenda por que é importante vacinar seu filho

Manter a carteirinha de imunizações em dia é uma medida fundamental para a manutenção da saúde e prevenção de epidemias


De acordo com recente* balanço epidemiológico do Ministério da Saúde, 15 estados brasileiros atingiram a meta de vacinar até pelo menos 95% das crianças com idades entre um e menos de cinco anos contra poliomielite e sarampo, duas doenças que vêm ameaçando o país.

Embora essa seja uma notícia positiva, a questão da cobertura vacinal entre a população ainda é preocupante. Desde 2015, o Brasil vem registrando queda não só nas imunizações contra sarampo e poliomielite, mas também em outras vacinas importantes, como as que protegem contra a meningite, difteria, tétano, coqueluche e rotavírus.

Uma das principais explicações dos especialistas para esse cenário é a falsa sensação de baixo risco das pessoas em relação às essas doenças, que foram controladas há muitos anos. Além do medo de possíveis consequências da vacina para a saúde.

Por que vacinar

Graças às imunizações, há 28 anos o Brasil não registra casos de poliomielite, doença grave que pode levar à paralisia. No entanto, em países vizinhos e em diversas partes do mundo os agentes infecciosos estão em circulação. Tanto é que desde o início do ano o Brasil passou a registrar novos surtos de sarampo (até o momento mais 1900 casos contabilizados) nos estados do Amazonas e Roraima, regiões que receberam imigrantes venezuelanos contaminados.

Apesar de o vírus ter vindo da Venezuela, a transmissão da doença poderia ter sido prevenida se a taxa de vacinação da população estivesse dentro das metas. Além disso, com a constante circulação de pessoas entre outros países e continentes, as infecções podem ocorrer entre aqueles que não estão protegidos e serem trazidas para o país.

Portanto, manter a carteirinha de imunizações em dia é uma medida fundamental para a manutenção da saúde e prevenção de epidemias. A Organização Mundial da Saúde estima que entre dois a três milhões de mortes são evitadas todos os anos em razão das imunizações.

Brasil é um dos países que mais investe em vacinas

Existente há mais de 40 anos, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) do Ministério da Saúde é um dos projetos de vacinação que mais se destacam no cenário internacional, disponibilizando gratuitamente nos postos públicos mais de 42 tipos imunobiológicos utilizados na prevenção e/ou tratamento de doenças, incluindo 25 vacinas. De acordo com o Ministério da Saúde, são distribuídas anualmente 300 milhões de doses de vacinas, soros e imunoglobulinas. Acesse o calendário nacional de vacinação aqui.

O que são as vacinas

As vacinas são preparações que estimulam o sistema imunológico a produzir anticorpos, que são os agentes de defesa que atuam contra os micro-organismos que provocam doenças infecciosas. As imunizações geralmente são compostas por agentes infecciosos enfraquecidos ou totalmente inativados.

Segurança e eficácia das vacinas

A maioria das vacinas protege cerca de 90% a 100% das pessoas, de acordo com informações da Sociedade Brasileira de Imunizações. Essa pequena porcentagem, que pode ficar desprotegida, está relacionada a alguns fatores, como o tipo de vacina aplicada e a resposta imunológica do indivíduo.

Com relação à segurança, as vacinas passam por um rigoroso processo de avaliação realizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que analisa os resultados de segurança e eficácia obtidos em estudos para só depois disponibilizá-las à população.

Ao contrário do que muitas pessoas pensam, as vacinas não têm a capacidade de levar ao desenvolvimento das doenças. O que pode acontecer em uma parcela pequena das pessoas (geralmente entre aqueles que estão com o sistema imunológico debilitado) é a manifestação de sintomas semelhantes aos da doença.

Se tiver dúvidas sobre quais imunizações você ou seus filhos precisam tomar, não deixe de conferir o calendário de imunizações do Ministério da Saúde e conversar com o seu médico de confiança. Lembre-se que a prevenção é sempre o caminho mais seguro a ser seguido.

Conheça o serviço de Orientação Médica Telefônica

Com a Orientação Médica Telefônica da SulAmérica, você pode falar com consultores de saúde especializados, 24 horas por dia, 7 dias por semana, para tirar dúvidas sobre reações adversas de vacinas, dúvidas sobre posologia de medicamentos, entre outras dúvidas de saúde.  Basta uma ligação para receber orientações seguras e personalizadas, além de atendimento para situações de emergência. Sempre que precisar ligue 0800 0800 888 

 

* Balanço divulgado em 03/10/2018
  
Referências:
Imunização: tudo o que você sempre quis saber, Sociedade Brasileira de Imunizações: https://sbim.org.br/images/books/imunizacao-tudo-o-que-voce-sempre-quis-saber-170810.pdf
A importância da vacinação, Instituto Bio-manguinhos: https://www.bio.fiocruz.br/index.php/noticias/603-a-importancia-da-vacinacao
Ministério atualiza casos de sarampo, Ministério da Saúde: http://portalms.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/44458-ministerio-da-saude-atualiza-casos-de-sarampo-9
Dia Nacional de Vacinação, Ministério da Saúde: http://www.blog.saude.gov.br/34572-dia-nacional-da-vacinacao.html




Voltar