Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
Iniciativa disponível para algumas localidades
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Como assegurar a saúde e o bem-estar do recém-nascido Saúde da Criança

Home > Matérias > Saúde da Criança > Como assegurar a saúde e o bem-estar do recém-nascido


Sulamerica-Recem_Nascido_thumb_01png


Saiba quais são os cuidados com o bebê depois da alta médica

 
A chegada de um bebê à família sempre desperta um sentimento único e maravilhoso. A expectativa na gravidez, o medo na hora do parto e a ansiedade para conhecer o rosto daquela criança ficam eternamente na memória dos pais. Na saída da maternidade, especialmente na primeira gestação, também surgem incertezas e questionamentos: será que o bebê vai crescer com saúde? Como dar banho sem colocar o neném em risco? Como protegê-lo de doenças? Uma dica é seguir uma listinha de cuidados que ajuda a assegurar o bem-estar do recém-nascido e dá mais segurança aos pais.


Sulamerica-Recem_Nascido_02png

Amamentação: A amamentação logo após o parto é crucial para que o bebê receba todos os nutrientes de que precisa após seu nascimento. A Organização Mundial da Saúde (OMS) também recomenda amamentação exclusiva de leite materno até os 6 meses de idade.


Alojamento conjunto: O ideal é que a mãe e o bebê fiquem em alojamento conjunto para que o vínculo afetivo já comece a ser estabelecido, conforme orientação do Ministério da Saúde. No caso de um parto sem complicações, os dois costumam ter alta em até 48 horas — recomenda-se que haja, no mínimo, 24 horas de observação hospitalar, tempo importante para prevenir eventuais complicações pós-parto.

Testes e primeiras vacinas: Na maternidade são feitos os testes do coração (oximetria de pulso) e dos olhos (ou teste do reflexo vermelho), além de aplicadas as primeiras vacinas (Hepatite B e BCG, contra tuberculose), preferencialmente nas primeiras 12 horas de vida, de acordo com a recomendação da FioCruz. O teste do  pezinho deve ser feito entre o terceiro e o quinto dia de vida do bebê — o exame recomendado pelo Ministério da Saúde detecta possíveis doenças e distúrbios, como deficiência mental, microcefalia, comportamento autista, fibrosamento do pulmão e epilepsia. Os pais também podem optar por ir a um posto de saúde para colher sangue da sola do pé do recém-nascido e, depois, levar o resultado para o pediatra.


Hora de ir para casa: 
Antes de sair da maternidade, os pais recebem orientações sobre os cuidados básicos em casa com alimentação, sono, banho e troca de fraldas. 


Sulamerica-Recem_Nascido_03pngO recém-nascido ainda está com a sensação recente do aconchego do útero. Por isso é importante que sua chegada em casa aconteça de maneira calma e tranquila, para que a adaptação ao novo ambiente seja rápida. Não exagere na quantidade de roupa. A OMS recomenda manter o recém-nascido aquecido de acordo com a temperatura ambiente, com uma camada de roupa a mais do que os adultos.

 

Ao longo do primeiro dia: O ideal é o bebê ficar confortável e sempre perto da mãe, mas não se recomenda dormir na cama junto com os pais. O berço pode ficar no mesmo quarto, de preferência sem travesseiros e bichinhos de pelúcia para evitar sufocamento. Também devem ser evitados o uso de repelentes químicos (mesmo os de tomada). A sociedade Brasileira de Pediatria recomenda que os bebês durmam de barriga para cima. A recomendação da sociedade foi baseada em vários estudos clínicos internacionais, que mostraram que colocar o bebê para dormir de barriga para cima pode reduzir em até 70% o risco de morte súbita.

Amamentação: Livre demanda, dia e noite, conforme o recém-nascido apresente fome.


Sulamerica-Recem_Nascido_04Na primeira semana, se os pais preferirem, a higienização pode ser feita apenas com panos úmidos em água morna e sabonete neutro. Depois disso, o bebê vai adorar tomar banho na banheira. Para que esse momento seja tranquilo, seguem algumas sugestões:

 

  • Prepare o ambiente com tudo o que será usado no banho: banheira com água morna (reserve uma parte num jarro para a última enxaguada), sabonete neutro, toalhas e paninhos ou esponjas macias;

  • Enrole o bebê em uma toalha e, com ele ainda no colo, lave primeiro a cabeça, apenas com água morna, para evitar que o sabonete entre nos olhos;

  • Em seguida, desenrole a toalha e coloque o bebê na banheira. Passe o sabonete delicadamente e enxágue com a água reservada no jarro;

  • Envolva o pequeno em uma toalha seca imediatamente após finalizado o banho para que ele fique quentinho. Seque bem a região do coto umbilical.

 

Higienização do umbigo: O cordão umbilical é cortado na maternidade, mas o bebê ainda fica com o que se chama de coto umbilical, que cai naturalmente em cerca de uma semana. Até lá, é importante limpar a região com álcool 70%, sempre da região do umbigo para fora, e mantê-la seca para que a cicatrização ocorra sem problemas. Apesar de parecer frágil, o coto umbilical não provoca dor e deve ser limpado com cuidado, mas sem medo, segundo recomendação do Ministério da Saúde.


Sulamerica-Recem_Nascido_05É normal que o recém-nascido receba visitas. Ainda assim, nas primeiras semanas é recomendado restringir o contato aos familiares mais próximos. Mesmo depois dos primeiros 28 dias, o encontro com outros parentes e amigos deve durar no máximo 15 minutos. Os pais não devem hesitar em pedir para que as visitas lavem muito bem as mãos antes de entrar no ambiente onde está o pequeno (sugestão: deixe um pote de álcool em gel num aparador próximo à porta do quarto). Os visitantes não podem estar gripados ou resfriados. Evite flores e objetos perfumados, pois podem irritar e obstruir as vias respiratórias do recém-nascido. Evite também aglomerações em cima da criança, como medida de segurança.   


Sulamerica-Recem_Nascido_06O recém-nascido precisa tomar sol a partir da segunda semana de vida. A exposição direta à luz solar deve durar cerca de 8 minutos, no corpo todo, três vezes por semana, como recomenda a Sociedade Brasileira de Pediatria. Se for apenas nos bracinhos e perninhas, o tempo pode ser maior: 17 minutos. A exposição ao sol deve ocorrer antes das 10:00 ou depois das 16:00. O sol ajuda a aumentar os níveis de vitamina D, fundamental para a formação dos ossos.

A ocorrência de icterícia neonatal, quando a pele do bebê fica amarelada, deixa os pais preocupados, mas é normal. Significa que o pequeno está se adaptando à metabolização de bilirrubina, substância processada pela bile, no fígado. A pele amarelada pode surgir a partir do terceiro dia de vida e o tratamento é justamente o banho de sol — o tom amarelado deve desaparecer em até dez dias. Ainda assim, se o pediatra detectar que a bilirrubina está muito alta no exame de sangue, é necessário recorrer a outros tipos de tratamento.



Sulamerica-Recem_Nascido_07Além das idas ao pediatra, que começam após uma semana de vida e depois se tornam mais espaçadas, acontecendo a cada 15 dias (até que o profissional diminua a frequência), o bebê não deve fazer passeios longos no primeiro mês. Nesse período, a amamentação é fundamental para aumentar a imunidade, bem como o vínculo com a mãe. Após completar o primeiro mês de vida o pequeno pode sair de casa, mas tenha em mente que é importante evitar lugares com muita gente.

 

Para as beneficiárias que estão gestantes, a SulAmérica oferece a iniciativa Futura Mamãe, que leva as principais orientações desde a gravidez até o 6º mês do bebê, com ligações, visitas domiciliares ou via web e central 24h, dando todo o apoio nesse momento tão especial.

 

 

Fontes: Ministério da Saúde, Organização Mundial da Saúde, Sociedade Brasileira de Pediatria e FioCruz.

Hiperlinks:

Ministério da Saúde: http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/jsp/visualiza/index.jsp?data=24/10/2016&jornal=1&pagina=121&totalArquivos=176 / http://www.blog.saude.gov.br/index.php/promocao-da-saude/53762-aprenda-como-cuidar-do-cordao-umbilical-do-recem-nascido

OMS: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/259269/WHO-MCA-17.07-eng.pdf;jsessionid=1FBF14E92B46ED7DA8E27486AFEA7DCD?sequence=1

SBP: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/2015/02/14617a-pdmanualnutrologia-alimentacao.pdf

Ministério da Saúde: http://www.saude.gov.br/noticias/agencia-saude/45503-ministerio-da-saude-reforca-a-importancia-do-teste-do-pezinho-entre-o-3-e-5-dia-de-vida

FioCruz: https://portal.fiocruz.br/pergunta/quais-sao-vacinas-que-o-bebe-deve-receber-ao-nascer

 

Voltar