Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
Iniciativa disponível para algumas localidades
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Conheça os efeitos do estresse à saúde bucal Saúde Bucal

Home > Matérias > Saúde Bucal > Conheça os efeitos do estresse à saúde bucal

O estresse é considerado um dos males do século 21 e não é à toa. A tensão diária pode trazer inúmeras consequências negativas ao bem-estar, inclusive à saúde oral. Aftas, bruxismo, boca seca e até doença periodontal são alguns exemplos de problemas bucais que o estresse pode provocar. Quando estamos sob efeito do estresse (reação natural do organismo frente às adversidades do dia a dia), o corpo libera uma série de hormônios, entre eles o cortisol e a adrenalina que, ao serem secretados em longo prazo, desestabilizam o sistema imunológico e provocam um efeito pró-inflamatório, predispondo o organismo ao desenvolvimento de inúmeras doenças. Confira as condições bucais mais comuns relacionadas ao estresse:


Aftas

Também chamadas de úlceras, as aftas são pequenas feridas doloridas de bordas avermelhadas e centros esbranquiçados que aparecem na parte interna da bochecha ou língua. Geralmente, são atribuídas à baixa imunidade e à acidez da boca. Existem algumas pomadas, receitadas pelos dentistas, que podem aliviar o desconforto. No entanto, com uma boa higiene bucal, elas desaparecem sozinhas entre uma a duas semanas.

Bruxismo

É uma condição caracterizada pelo ranger dos dentes durante o sono, o que provoca dores na mandíbula, face e cabeça. Além disso, o bruxismo gera desgaste e fratura dos dentes. Ansiedade e estresse são as principais causas do bruxismo. Para controlar o problema, é necessário o uso de um protetor de dentes à noite, além de buscar maneiras de gerenciar a tensão diária.

Cáries e mau hálito

A cárie corresponde à deterioração progressiva das estruturas calcificadas dos dentes e surge em decorrência dos ácidos produzidos pelas bactérias da boca, principalmente depois da ingestão de açúcar em excesso. O estresse pode levar ao descuido com a higiene bucal e aumentar o consumo de fast-food e doces, o que favorecem o acúmulo de placas bacterianas e, consequentemente, o surgimento da cárie e do mau hálito.

Xerostomia

Conhecida como boca seca, a xerostomia é uma condição associada à baixa ou nenhuma produção de saliva pelas glândulas salivares. Além da sensação de estar com a boca seca, a xerostomia pode afetar a mastigação, a fala, o paladar e contribuir para o desenvolvimento de cáries e mau hálito. O estresse está entre os fatores que desencadeiam esse problema, pois ele reduz o fluxo salivar.

Herpes oral

Provocado pelo vírus HSV-1, o herpes oral provoca bolhas nos lábios, que depois viram feridas. Estima-se que 99% das pessoas já tiveram contato com o HSV-1 na infância e adolescência, adquirindo resistência a ele. No entanto, algumas pessoas que apresentam baixa no sistema imunológico podem manifestar os sintomas do herpes oral. A infecção não tem cura e é autolimitada, ou seja, à medida que o sistema imunológico se recupera, ela tende a desaparecer sozinha.

Doença periodontal

A doença periodontal é uma enfermidade que compromete o tecido ósseo de suporte dentário, podendo levar à perda dos dentes. Essa condição contribui para o desenvolvimento ou agravamento de outras doenças, por exemplo as do coração. Como já mencionado, o estresse pode levar ao descuido com a higiene oral, ao consumo de cigarro e bebidas alcoólicas e até diminui a resistência imunológica, fatores desencadeadores da doença periodontal. De acordo com uma pesquisa realizada pela Faculdade de Odontologia da Universidade Estadual de Campinas, a depressão e a ansiedade podem levar à quebra do equilíbrio dos tecidos que fixam o dente ao osso, facilitando o gatilho gerador das doenças periodontais frente à placa bacteriana.


Controle o estresse

Se o estresse é constante em sua rotina, procure maneiras de gerenciá-lo antes que ele afete sua saúde. Investir em atividades relaxantes, como yoga e meditação, pode ajudar a aliviar a tensão. Além disso, dê espaço ao seu lazer e aos momentos com a família. Lembre-se também de realizar um check-up regular com o dentista.



Voltar