Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
Iniciativa disponível para algumas localidades
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Câncer de boca: cigarro é o principal vilão Doenças Comuns

Home > Matérias > Doenças Comuns > Câncer de boca: cigarro é o principal vilão


O
cigarro está relacionado a diversos tipos de cânceres e entre os mais frequentes se destaca o que afeta a cavidade oral, também conhecido como câncer de boca. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, esse tipo de tumor atinge quase 660 mil pessoas todos os anos e resulta em aproximadamente 330 mil mortes. No Brasil, o Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima o surgimento  de quase 15 mil casos até o fim do ano.


O câncer de boca afeta lábios e as estruturas internas da cavidade oral, como bochechas, gengivas, céu da boca, língua (principalmente as bordas) e a região embaixo da língua. A doença é mais comum em homens fumantes com mais de 40 anos e pode ser curada se diagnosticada precocemente.

 



Fatores de risco do câncer de boca

 
O tabagismo em seus diversos meios, como cigarro palha, cravo, Bali ou kreteks, fumo de rolo, tabaco mascado, cachimbos, charutos e narguilé - constitui o principal fator de risco do câncer de boca. Mas, outros fatores também podem desencadear a doença. São eles:

 

  • Consumo regular de bebidas alcoólicas (sete entre dez pessoas diagnosticadas com esse tipo de câncer fazem uso excessivo de álcool)

  • Exposição solar sem proteção

  • Excesso de peso e obesidade

  • Infecção pelo vírus HPV

  • Má nutrição

  • Sistema imunológico enfraquecido

·         Síndromes genéticas como anemia de fanconi e Disqueratose Congênita

  • Exposição a substãncias químicas e de processos industriais, como óleo de corte, amianto, poeira de madeira e de cimento, entre muitos outros

 

De acordo com o INCA, profissonais da agricultura e criação de animais, indústria textil, construção civil, metalúrgica, oficina mecânica, mineração de carvão, cabelereiros, carpinteiros, pintores, mineiros, açougueiros, entre outros tipos de trabalhadores apresentam um risco aumentado para câncer de boca.


Saiba mais

 

Tudo o que você precisa saber sobre câncer

 

Câncer de cabeça e pescoço é um dos mais comuns entre os homens

 

Sintomas


Segundo a
World Dental Federation, 70% dos casos de câncer de boca são precedidos por lesões bucais pré-malignas, que não cicatrizam por mais de 15 dias e que podem sangrar. Confira outros sintomas típicos:

 

  • Manchas/ placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, céu da boca ou bochechas

  • Nódulos (caroços) no pescoço

  • Rouquidão persistente


Nos casos mais avançados é comum o indivíduo apresentar:

 

  • Dificuldade para mastigar e engolir

  • Dificuldade na fala

  • Sensação de que há algo preso na garganta

  • Dificuldade para movimentar a língua

 

Diagnóstico

O diagnóstico do câncer de boca é essencialmente clínico e confirmado por biópsia. Realizar o autoexame e visitar um dentista regularmente é fundamental para a detecção precoce de lesões malignas.

 
Se notar a presença de feridas que não cicatrizam por mais de 15 dias, procure a avaliação de um médico. O quanto antes a doença for diagnosticada, maiores serão as chances de cura.

 

Tratamento

Na maior parte dos casos, o tratamento é cirúrgico. Normalmente, a radiotarapia e a quimioterapia só são indicadas quando não é possível realizar a cirurgia. Em casos mais complexos, a radioterapia pode ser indicada em conjunto com a cirurgia.

 


Gostou do artigo? Continue a navegar pelo nosso
blog e fique por dentro do que há de mais atual no universo da saúde.

 

Voltar