Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os Segurados SulAmérica Saúde. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Tudo o que você precisa saber sobre o AVC Doenças Comuns

Home > Matérias > Doenças Comuns > Tudo o que você precisa saber sobre o AVC

O acidente vascular cerebral (AVC), mais conhecido como derrame cerebral, está entre as doenças que mais matam no Brasil e no mundo. De acordo com dados da World Stroke Association, a condição é a principal causa de incapacidade mundial, atingindo cerca de 26 milhões de pessoas a cada ano.

O AVC é definido como um déficit neurológico súbito, causado por um problema nos vasos sanguíneos do sistema nervoso central. As consequências dessa condição dependem de onde ela ocorre no cérebro, podendo afetar a mobilidade, a fala e o raciocínio.  

A identificação precoce dos sintomas do AVC e o acesso ao atendimento médico de emergência em unidade especializada podem salvar vidas e aumentar as chances de uma recuperação satisfatória. Por esse motivo, é extremamente importante saber reconhecer os sintomas.

 

O que é AVC

Existem dois tipos de AVC: o isquêmico e o hemorrágico. O primeiro é o mais comum, corresponde a 85% dos casos e acontece quando há bloqueio ou uma redução brusca do fluxo sanguíneo de uma das artérias do cérebro, gerando falta de circulação no território vascular. Esse problema leva à morte das células do cérebro (neurônios), que deixam de cumprir suas funções.

Já o AVC hemorrágico acontece quando há o rompimento de uma artéria ou vaso sanguíneo, com extravasamento de sangue para algum ponto do sistema nervoso. Esse tipo de AVC pode ser fatal, principalmente quando o socorro médico é demorado.

 

Quem pode ter um AVC

Ao contrário do que se pensa, o derrame não é uma doença que afeta apenas as pessoas mais velhas. A princípio qualquer pessoa pode ter um AVC, inclusive crianças, entretanto, algumas condições aumentam o risco, como:

  • Hipertensão arterial

  • Diabetes

  • Tabagismo

  • Consumo excessivo de álcool

  • Colesterol alto

  • Uso de anticoncepcionais

  • Obesidade

  • Doenças de coagulação do sangue

  • Herança genética

  • História de doença vascular prévia

 

Além disso, pessoas do sexo masculino e negros apresentam tendência maior ao desenvolvimento do AVC.

Como reconhecer um AVC

 

Cada parte do cérebro é responsável por uma função diferente, como fala, equilíbrio, coordenação, etc. Os sintomas de um AVC podem variar de acordo com a área afetada.

 

Sinais de alerta:

 

  • Perda repentina da força muscular e/ou da visão

  • Dificuldade de comunicação oral

  • Tontura

  • Formigamento em um dos lados do corpo

  • Alterações da memória

  • Dor de cabeça repentina

  • Enjoo/vômitos

 

O teste a seguir, chamado SAMU, pode ajudar a reconhecer quando uma pessoa está tendo um AVC. Veja como é fácil:

 

Sorriso: peça para dar um sorriso. Existe assimetria?

 

Abraço: peça para elevar os braços. Um lado está fraco?

 

Música: Peça para cantar o trecho de uma música. A pessoa consegue falar? A fala está embaralhada ou arrastada?

 

Urgente: Não perca tempo. Se você identificar um ou mais desses sinais busque atendimento médico de urgência.  

 

Prevenção

O AVC é uma doença muito grave, que pode matar ou deixar sequelas permanentes. Veja algumas dicas que podem ajudar a prevenir o AVC:

 

  • Mantenha uma alimentação saudável, reduzida em gordura, com mais vegetais, legumes e frutas

  • Mantenha o seu peso ideal

  • Pratique uma atividade física regular, ou seja, pelo menos 5 vezes por semana, durante 30 minutos

  • Verifique a pressão arterial, o colesterol e a glicemia pelo menos 1 vez ao ano

  • Conheça os seus próprios fatores de risco: hipertensão arterial, diabetes e colesterol alto. Mantenha-os sob controle

  • Não fume e modere no consumo de álcool

  • Busque formas de gerenciar o estresse e aproveitar os momentos de lazer

Voltar