Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

//
-
Clínicas disponíveis para algumas localidades de São Paulo/SP. Indique no campo "Observações" a localidade de sua preferência: Freguesia do Ó, Indianópolis, Lapa, Paraíso, Pinheiros, Santana, Sta Cecília, Sta Cruz , Sto Amaro, São Judas, São Miguel, Tatuapé
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Fazer o bem faz bem à saúde: veja dicas de como ajudar o próximo Bem Estar

Home > Matérias > Bem Estar > Fazer o bem faz bem à saúde: veja dicas de como ajudar o próximo


sulamerica_2020_saude_artigo_fazer-o-bem_headerO ano de 2020 foi marcado por um aumento significativo de pessoas que dedicaram parte do seu tempo a ajudar o outro. A plataforma de voluntariado Atados registrou um aumento de 147% nos acessos do site em 2020, enquanto o número de inscrições em vagas para novos voluntários cresceu 43%.

Os benefícios do voluntariado para as instituições e pessoas beneficiadas são claros, mas os próprios voluntários também ganham. A frase “fazer o bem faz bem”, conhecida por todos, é cientificamente provada: pesquisas mostram que atos de gentileza ajudam no bem-estar e na saúde emocional de quem os pratica. Entenda melhor como isso acontece e veja dicas de como ajudar o próximo.


 

sulamerica_2020_saude_artigo_fazer-o-bem_01 

Ações altruístas ativam áreas do cérebro ligadas ao prazer e à recompensa. É o que mostra um estudo realizado nos Estados Unidos por pesquisadores brasileiros, que monitorou, através de ressonância magnética, o cérebro de pessoas que decidiam (ou não) fazer uma doação para uma instituição de caridade. A área do cérebro conhecida como sistema de recompensa era ativada nas pessoas que decidiam pela doação, liberando dopamina. Também foram ativados o córtex subgenual e a área septal, duas regiões cerebrais relacionadas ao sentimento de apego e de pertencimento.

Uma pesquisa da Universidade de Michigan mostrou que a taxa de mortalidade é menor entre pessoas que praticam o voluntariado. A melhoria na saúde e na expectativa de vida, porém, só foi aparente entre aqueles que eram voluntários por razões não egoístas, ou seja, cuja motivação para se voluntariar não era para benefício próprio.

Ajudar os outros também ajuda a se sentir mais forte e com mais energia, aponta um estudo publicado no periódico international Journal of Behavioral Medicine. A Harvard Business School também mostra que pessoas altruístas são mais felizes em geral, após avaliar a felicidade em 136 países. Por fim, uma pesquisa realizada no Canadá mostrou que pequenos atos de bondade ajudam a melhorar quadros de ansiedade social.

 

sulamerica_2020_saude_artigo_fazer-o-bem_02

  • Aumento da autoestima e da sensação de satisfação

  • Prática e desenvolvimento da empatia

  • Melhora das competências de trabalho em equipe

  • Aumento e diversificação da socialização

  • Aperfeiçoamento e aprendizado de novas e velhas habilidades

  • Expansão da rede de contatos e das experiências

 

 sulamerica_2020_saude_artigo_fazer-o-bem_03

Muitas vezes, as pessoas querem fazer o bem, mas não sabem por onde começar. Um primeiro passo é consultar as instituições do seu bairro, que podem mostrar quais as iniciativas e necessidades da região. Plataformas online de voluntariado, como a Atados e a Pátria Voluntária, são opções práticas. Elas conectam instituições com pessoas interessadas em doar seu tempo e conhecimento, e é possível ver as opções de voluntariado por categoria. Antes de se inscrever, é importante ter em mente qual o seu tempo disponível para aquela atividade, se é um engajamento pontual ou recorrente e quantas horas você tem disponível.

Fazer o bem não é apenas ser voluntário. Várias outras atitudes ajudam os outros e a si mesmo, e podem ser feitas pontualmente ou incorporadas ao dia a dia.

 

  • A doação de sangue, por exemplo, é de extrema importância, especialmente durante a pandemia, que trouxe uma queda significativa do estoque dos bancos de sangue. Lactantes também podem doar leite materno.

  • No Natal, presentear uma criança que enviou uma cartinha ao Papai Noel garante um sorriso no rosto em uma época tão especial.

  • Doar comida e itens de higiene para quem precisa garante as necessidades básicas das pessoas.

  • Ligar para amigos e conhecidos, principalmente idosos, que passarão as festas de final de ano sozinhos, em decorrência da pandemia, para colocar o papo em dia, se mostrar disponível e lembrar a pessoa que você tem um carinho por ela.

  • Ajudar vizinhos de mobilidade reduzida a fazer pequenos reparos em casa ou compras de supermercado não tem custo e pode motivar outras pessoas da comunidade a se ajudarem.

  • Se estiver dentro do orçamento, uma doação em dinheiro para uma instituição de caridade ajuda a arcar com os custos operacionais necessários e, claro, ajuda a causa daquela instituição.

  • Preservar o meio-ambiente é fazer o bem para todos. Informe-se sobre atitudes que contribuem para a preservação dos ecossistemas e para a desaceleração das mudanças climáticas, como reduzir o lixo produzido e consumir de maneira consciente.



 

Voltar