Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

//
-
Clínicas disponíveis para algumas localidades de São Paulo/SP. Indique no campo "Observações" a localidade de sua preferência: Freguesia do Ó, Indianópolis, Lapa, Paraíso, Pinheiros, Santana, Sta Cecília, Sta Cruz , Sto Amaro, São Judas, São Miguel, Tatuapé
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Outubro rosa: mitos e verdades sobre o câncer de mama Saúde da Mulher

Home > Matérias > Saúde da Mulher > Outubro rosa: mitos e verdades sobre o câncer de mama


sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_header

Uma pesquisa da Sociedade Brasileira de Mastologia mostra que 80% das mulheres brasileiras entrevistadas consultam um profissional de saúde para se informar sobre o câncer de mama. Ainda assim, muitas informações incorretas circulam na internet, trazendo dúvidas em relação aos fatores de risco e às melhores medidas preventivas. No mês da conscientização sobre o câncer de mama, o Outubro Rosa, desvendamos os mitos e as verdades sobre o tipo de câncer que mais atinge as mulheres no Brasil.



sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_01

Mito. Apenas de 5% a 10% dos casos de câncer de mama são hereditários. Ter um parente próximo com câncer de mama aumenta os riscos, por isso o acompanhamento médico é ainda mais importante nesses casos, mas não torna a doença algo inevitável. Do mesmo modo, pessoas sem histórico familiar de câncer de mama também correm risco de desenvolver a doença, e não devem se descuidar.


sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_02

Mito. Apalpar os próprios seios é uma prática importante, que traz autoconhecimento e empoderamento. Porém, o autoexame não é capaz de detectar tumores não palpáveis – normalmente em estágio inicial e com mais chance de cura. Por isso, além do autoexame, é importante realizar mamografias periodicamente.


sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_03

Verdade. Menstruar pela primeira vez (menarca) antes dos 11 anos aumenta a probabilidade de ter câncer de mama. Isso acontece porque, a cada menstruação, as mamas são afetadas pela ação do estrogênio e da progesterona. O estrogênio estimula a multiplicação celular, o que aumenta as chances de aparecimento de células malignas. Portanto, quanto mais ciclos menstruais, maior é a exposição aos hormônios, que, associados a outros fatores de risco, aumentam a chance de desenvolver um câncer de mama. Além da idade da menarca, a menopausa tardia também representa riscos, pelos mesmos motivos.


sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_04

Mito. Até a data de hoje, não há evidências suficientes de que o uso de desodorantes aumente o risco de desenvolver câncer de mama. A associação entre desodorante e câncer surgiu ao se perceber que os sais de alumínio, presentes nos antitranspirantes, podem alterar os receptores de estrogênio, hormônio feminino. No entanto, um estudo indica que apenas 0,012% do alumínio dos desodorantes é absorvido pela pele, o que não representa uma quantidade preocupante. É importante ressaltar que ainda não existem estudos conclusivos sobre os efeitos do alumínio no corpo humano.


sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_05

Verdade. Como amamentar reduz o número de ciclos menstruais, a exposição aos hormônios diminui, reduzindo os riscos de câncer de mama. Além disso, ao final do período de lactação, várias células se autodestroem, incluindo aquelas que poderiam ter algum tipo de mutação. Quanto maior o período de aleitamento, maior a proteção. Porém, amamentar não impede o aparecimento de um câncer de mama, sendo necessária a realização de exames periódicos.


sulamerica_2020_saude_artigo_mitos-e-verdades-cancer-mama_06

Mito. Transexuais e transgêneros também podem desenvolver um câncer de mama e devem consultar um mastologista. A terapia hormonal com estrogênio feita por algumas mulheres trans resulta no desenvolvimento de uma mama. Essa mama pode desenvolver um câncer, por isso é importante consultar um médico periodicamente. No caso de homens trans que passaram por mastectomia, o risco existe, mesmo que mínimo. Isso porque após a cirurgia de retirada da mama, ainda resta tecido mamário na região próxima à axila. No caso de pessoas com risco genético hereditário, exames periódicos, como ultrassonografias das mamas, são aconselhados. Vale lembrar que, mesmo que raramente, o desenvolvimento de câncer em tecido mamário masculino também pode acontecer.

Caso você necessite de mais orientações: os beneficiários da SulAmérica podem contar com a Orientação Médica Telefônica para falar com um profissional de saúde e tirar suas dúvidas, clique aqui e saiba mais.

 

Fontes:

Sociedade Brasileira de Mastologia

INCA (Instituto Nacional de Câncer) 

American Cancer Society 



Voltar