Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

//
-
Clínicas disponíveis para algumas localidades de São Paulo/SP. Indique no campo "Observações" a localidade de sua preferência: Freguesia do Ó, Indianópolis, Lapa, Paraíso, Pinheiros, Santana, Sta Cecília, Sta Cruz , Sto Amaro, São Judas, São Miguel, Tatuapé
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Pare e respire: como identificar e combater as crises de ansiedade? Saúde Mental

Home > Matérias > Saúde Mental > Pare e respire: como identificar e combater as crises de ansiedade?



sulamerica_2020_saude_artigo_ansiedade_1Você já deve ter sentido a mão suando antes de falar em público, um nervosismo antes de uma prova importante, ou mesmo uma maior adrenalina antes de um esporte radical. É normal. Segundo o psiquiatra Eduardo Tancredi: “a ansiedade é uma defesa do nosso corpo, e não existe uma vida imune à ansiedade.”

A ansiedade só será um problema, ou considerada um transtorno, quando a pessoa se sente incapacitada de realizar atividades normais, quando esse sentimento passa a interferir no dia a dia e afetar a qualidade de vida.

Ainda assim, a ansiedade, natural em nossas vidas, pode se tornar um problema. Segundo a OMS, 260 milhões de pessoas no mundo são acometidas por transtornos ansiosos. E o Brasil é o país líder no ranking de ansiedade, com mais de 9% da população sofrendo com essas espécies de transtorno. Além disso, um estudo da Universidade de Cambridge, mostra que as mulheres são duas vezes mais propensas às crises do que os homens.

A ansiedade também pode ser agravada por hábitos como alimentação desregrada, falta de sono e sedentarismo – situações trazidas pela mudança de rotina em função do longo tempo que as pessoas têm ficado em casa. Períodos de estresse frequente também estão associados a quadros elevados de ansiedade, por isso especialistas alertaram que haveria um aumento de casos durante a pandemia.


sulamerica_2020_saude_artigo_ansiedade_2“Cartilha de Práticas Respiratórias para o Manejo do Estresse e da Ansiedade”, desenvolvida pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), nos ajuda a identificar sinais físicos, cognitivos, comportamentais e emocionais durante uma crise de ansiedade. Fique atento aos sintomas abaixo:



sulamerica_2020_saude_artigo_ansiedade_3Sintomas como palpitação e dificuldade para respirar, comuns em uma crise de ansiedade, precisam ser avaliados para descartar qualquer suspeita de problemas cardiovasculares ou outras doenças. Se a crise de ansiedade for confirmada, é importante seguir tratamento adequado, com acompanhamento de um psicólogo ou psiquiatra, que irão ajudar você a lidar com o problema e evitar futuras crises.

“Adiar o tratamento agrava a ansiedade, que pode virar uma bola de neve e evoluir para uma crise de pânico”, afirma Eduardo Tancredi. 

Recorra também aos exercícios respiratórios para  reequilibrar o ritmo da respiração fazendo com que o cérebro receba o “aviso” de que está tudo bem, de que não há perigo real por perto. Experimente inspirar em 5 segundos, reter o ar por mais 5 e expirar lentamente.

Para saber mais sobre o que é uma crise de ansiedade, quais os sintomas e como procurar ajuda, ouça o episódio inteiramente dedicado a transtornos ansiosos do podcast Única Mente:



sulamerica_2020_saude_artigo_ansiedade_4O melhor a fazer por um amigo ou familiar que sofre de ansiedade é convencê-lo a procurar ajuda profissional e seguir o tratamento recomendado. Ainda assim, em um momento de crise, é possível ajudar; veja boas práticas:



  • Ouça a pessoa com empatia: mostre que você se importa com o que a pessoa está sentindo e que ela é capaz de vencer aquela situação. Ao invés de falar “é frescura, você só quer chamar atenção”, experimente dizer “você vai conseguir superar tudo isso”.

 

  • Leve-a para um local tranquilo: no momento da crise, a pessoa ansiosa tem medo de que quem está ao seu redor perceba os sintomas. Tente levá-la para um lugar mais calmo, arejado e longe de aglomeração. Um local mais calmo também vai ajudar a tranquilizar o ritmo da respiração.

 

  • Procure distraí-la: procure fazer com que ela desvie o foco dos sintomas que poderão desencadear o medo de um perigo irreal. Converse sobre outras coisas ou peça para a pessoa observar detalhes ou objetos que estão por perto. Medidas simples, como fazer com que ela conte os postes da rua, podem funcionar.


sulamerica_2020_saude_artigo_ansiedade_5Se estiver sozinho(a) e sentir que está à beira de uma crise de ansiedade, ou mesmo antes disso, lembre-se que a SulAmérica oferece apoio profissional para prevenir, diagnosticar e tratar transtornos da mente, a partir da iniciativa Única Mente. Os beneficiários também têm disponível o Psicólogo na Tela, que possibilita atendimento psicoterápico a distância.

 

Artigos relacionados:

Aprenda a controlar a ansiedade

Adote Estratégias para Aliviar a Ansiedade

Tem Diferença Entre Ansiedade e Pânico?

 

Fontes:

Correio Brasiliense  

Cartilha de Práticas Respiratórias para o Manejo do Estresse e da Ansiedade 

VEJA Saúde 



Voltar