Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
Iniciativa disponível para algumas localidades
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Acidentes com animais peçonhentos: saiba o que fazer e como evitar Estilo de Vida

Home > Matérias > Estilo de Vida > Acidentes com animais peçonhentos: saiba o que fazer e como evitar

O verão é uma das estações mais esperadas do ano. Praia, sol, piscina e férias em cidades do interior são alguns dos programas que muita gente tem para o período. No entanto, é importante redobrar os cuidados com alguns problemas comuns dessa época, como os acidentes provocados por animais peçonhentos.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, no último ano foram registrados cerca de 140 mil ocorrências com animais como serpentes, aranhas, escorpiões, lagartas, abelhas, entre outros.

Os animais peçonhentos são aqueles que produzem veneno e o injetam por meio de dentes, ferrões, presas, cerdas pontiagudas, entre outros meios naturais. Por se tratar de incidentes frequentes e potencialmente graves, é importante saber como agir, caso ocorram. 

Para todo caso de acidente ofídico (em que há envenenamento decorrente da inoculação – presa – de animal peçonhento) é importante que seja identificado qual foi o causador do dano e sempre procurar Pronto Atendimento para orientação.

As crianças devem ser orientadas também quanto a saber identificar o animal e comunicar o ocorrido imediatamente aos familiares.

 

Veja a seguir os tipos de acidentes mais comuns com animais peçonhentos e o que fazer:

 

  • Abelhas

 

Os sintomas das picadas de abelha variam de acordo com o local atingido, a quantidade de veneno injetada e o histórico alérgico do indivíduo. No caso de poucas picadas, por exemplo, podem surgir desde uma simples inflamação até uma forte reação alérgica.

Há casos em que ferroadas múltiplas podem ser fatais.

O que fazer: quando houver múltiplas picadas, é importante levar o acidentado rapidamente ao hospital, junto com algumas das abelhas que o picaram, se possível.

 

  • Águas-vivas

Caravlea

Nas praias do litoral brasileiro é muito comum encontrar águas-vivas e o contato com elas pode provocar queimaduras.

O que fazer: inicialmente, para o alívio das dores, podem ser utilizadas compressas geladas. Em seguida, é importante lavar o local com ácido acético a 5% (vinagre, por exemplo) sem esfregar, e voltar com a compressa gelada por cerca de 10 minutos. Depois, procure atendimento médico. Não utilize água doce para limpar o local, pois isso pode aumentar o envenenamento.

 

  • Aranhas

 

As picadas de aranhas são comuns e muitas delas não manifestam sintomas, nem representam perigo para a saúde. Atualmente, três tipos de aranhas são consideradas de importância médica no Brasil:
 Aranha
Aranha-armadeira: causa dor imediata e intensa, com poucos sinais visíveis. Em casos raros, podem ocorrer náuseas, vômitos, agitação e diminuição da pressão arterial. 

Aranha marrom

Aranha-marrom: a picada não é muito dolorida e horas após o ataque costuma surgir uma lesão escura e endurecida no local, podendo evoluir para ferida com necrose de difícil cicatrização.  (sugiro figura da espécie)

Viuva Negra

Viúva-negra: provoca dores na região picada, contração nos músculos, suor e alterações na pressão e nos batimentos cardíacos. (sugiro figura da espécie)


O que fazer: após a picada, lave o local atingido e use compressas mornas para aliviar a dor. Procure atendimento médico e, se possível, leve o animal para identificação.

 

  • Escorpiões

 Escorpião preto

Entulhos, folhas secas e densas, materiais de construção, buracos, interior de objetos e terrenos baldios são locais onde esses bichos podem estar alojados.

No Brasil, os gêneros de escorpiões que mais preocupam são escorpião-amarelo (T. serrulatus), escorpião-marrom (T. bahienses), escorpião amarelo-do-nordeste (T. stigmurus) e escorpião preto-da-amazônia (T. obscurus). (Sugiro figuras dos tipos)

Geralmente, em adultos, a maioria dos casos não é grave e os sintomas podem incluir dor imediata, vermelhidão e inchaço leve.

Já em crianças menores de sete anos, os riscos de alterações graves é alto e, portanto, é imprescindível aplicação de soro antiescorpiônico o quanto antes.

 

O que fazer: lave o local com água e sabão e procure atendimento médico mais próximo imediatamente.

 

  • Lagartas (taturanas, marandová, mondrová, etc.)

 
Lagarta

O contato com esses animais costuma provocar queimaduras, que geralmente têm evolução benigna. A espécie de maior relevância médica é a lonomia, que pode causar hemorragia e levar à morte. (Figura da Lonomia)


O que fazer: dependendo do tipo de lagarta, os sintomas podem ser tratados em casa, com compressas frias ou geladas para alívio da dor. Em caso de dúvida sobre a toxicidade deve ser levado ao Pronto Atendimento.

No caso de suspeita de acidente com a lonomia, é importante procurar atendimento médico mais próximo para que se possa ser aplicado o soro antilonômico.

 

  • Cobras

 

Nem toda picada de cobra causa envenenamento. Isso porque muitas espécies de serpentes não possuem presas ou, quando possuem, estão localizadas na parte de trás da boca, o que dificulta a injeção do veneno.

 

O que fazer: é indicado lavar o local afetado com água e sabão, manter o paciente deitado e hidratado. Procurar Pronto Atendimento imediatamente, independente do tipo de cobra que realizou a picada. Se possível, leve o animal para identificação.

 

Não aperte ou prenda o local picado e nem coloque folhas, pó de café ou outros produtos contaminantes.

 

Como prevenir acidentes com animais peçonhentos

 

- Em locais rurais e durante atividades de jardinagem, use calçados fechados e luvas;

- Examine calçados e roupas pessoais e de cama antes de utilizá-los;

- Afaste camas das paredes e evite pendurar roupas fora do armário.

- Não acumule entulhos;

- Vede frestas, buracos em assoalhos, forros e paredes;

- Limpe regularmente móveis, cortinas e cantos de paredes;

- Mantenha a grama sempre cortada e evite plantas do tipo trepadeiras e bananeiras;

- Utilize telas ou vedantes em ralos, portas e janelas.



Voltar