Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

//
-
Clínicas disponíveis para algumas localidades de São Paulo/SP. Indique no campo "Observações" a localidade de sua preferência: Freguesia do Ó, Indianópolis, Lapa, Paraíso, Pinheiros, Santana, Sta Cecília, Sta Cruz , Sto Amaro, São Judas, São Miguel, Tatuapé
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Saiba identificar os diferentes sintomas da COVID-19 Epidemias

Home > Matérias > Epidemias > Saiba identificar os diferentes sintomas da COVID-19

O surgimento e a disseminação da COVID-19 pegaram o mundo de surpresa e, por isso, a doença ainda é pouco conhecida. Os profissionais de saúde sabem que se trata de uma infecção respiratória causada pelo novo coronavírus, surgido na China no fim de 2019, e que pode evoluir para uma pneumonia grave e insuficiência respiratória, principalmente nos grupos de risco, como idosos e doentes crônicos.

Formas eficientes de tratamento, vacinas para prevenção e possíveis sequelas da doença ainda estão sendo estudadas. Até mesmo os sintomas podem confundir o diagnóstico, já que se manifestam de formas diferentes em cada pessoa contaminada pelo vírus. Saiba em que situações é necessário adotar o isolamento social ou buscar ajuda médica:

COVID-19 leve ou moderada

Os sintomas são como o de um resfriado, sem muitas complicações. Como muitos casos suspeitos no Brasil não são testados, não dá para saber o número exato de pessoas com esse grau da doença. A boa notícia é que cerca de 80% dos pacientes diagnosticados apresentam COVID-19 leve ou moderada, quando não há necessidade de internação hospitalar, de acordo com a Sociedade Brasileira de Infectologia.

SINTOMAS    

 Sintomas: Febre leve ou moderada, controlável com antitérmico; Tosse seca; Coriza; Fadiga; Dor de garganta; Dor de cabeça; Dores musculares.

 

Uma pequena parcela das pessoas contaminadas (cerca de 19%) se queixa de perda súbita de olfato (anosmia) e paladar (ageusia), associada ou não aos outros sintomas. Diarreia, náusea e vômito também podem ocorrer. Pesquisadores da Chinese University of Hong Kong encontraram estruturas do coronavírus nas células gastrointestinais de pacientes infectados, o que sugere a extensão da infecção para o intestino.


O tempo de recuperação da COVID-19 leve ou moderada é de até 14 dias, com sinais mais intensos na primeira semana. Nas pessoas que pertencem ao grupo de risco (idosos, pessoas com outras doenças e gestantes), a doença pode evoluir para um quadro mais grave nesse período.

Caso apresente qualquer um desses sintomas, siga a recomendação do Ministério da Saúde de isolamento social por 14 dias. Evite contato físico com pessoas que estiverem saudáveis, mesmo dentro de casa, e faça repouso.

 COVID-19 grave

Cerca de cinco dias após os primeiros sinais da doença, o paciente pode apresentar complicações graves, como febre alta e persistente e piora na dificuldade para respirar, sintomas que podem indicar a evolução para uma pneumonia. Geralmente, esse agravamento requer internação. O exame de tomografia detecta alterações nos pulmões provocadas pelo novo coronavírus.

 SINTOMAS DE ALERTA PARA PROCURAR ASSISTÊNCIA MÉDICA:

Estes sinais devem ser observados atentamente, pois nem sempre haverá presença de falta de ar e febre. Muitas vezes, outros sintomas podem sugerir que o vírus está causando danos ao seu pulmão, ao coração e até mesmo ao cérebro, o que pode estar relacionado com baixa oxigenação, inflamações e tromboses, quadros que vêm sendo observados nas infecções mais severas:

Febre alta e persistente; Dificuldades para respirar, sensação de “afogamento”; Diminuição da força física, principalmente para caminhar e se movimentar; Confusão mental; Queda da pressão arterial.

 

Algumas dessas formas graves evoluem com necessidade de internação em UTI, e auxílio de aparelhos para respirar (ventilação mecânica) – quadro classificado como Síndrome Respiratória Aguda Grave. O tempo estimado de tratamento em UTI é de 12 dias, e o período de recuperação leva de três a seis semanas. Nestes casos o vírus pode permanecer por mais tempo em atividade e, portanto, o período de isolamento deve superar os 14 dias.

Diabetes, alterações cardiovasculares e problemas crônicos nos rins e no pulmão são doenças preexistentes que aumentam o risco de a infecção pelo coronavírus evoluir para uma pneumonia. A idade avançada também é um fator significativo, mas a OMS (Organização Mundial da Saúde) e o Ministério da Saúde reforçam que pessoas de qualquer idade podem evoluir para quadros respiratórios mais severos. Na China, apenas 14% dos pacientes tratados foram classificados como casos graves.

 COVID-19 assintomática

Algumas pessoas, mesmo contaminadas pelo coronavírus, não apresentam sintomas. Neste grupo também temos aqueles considerados pré-sintomáticos, isto significa que desenvolverão sinais e sintomas da COVID-19 em alguns dias. 
Estes casos podem potencializar a disseminação da doença, uma vez que estes indivíduos podem transmitir o SARS-Cov-2 mesmo sem apresentar sintomas. Por isso a importância do isolamento social, do uso de máscaras ao sairmos na rua e da higienização redobrada das mãos, superfícies e dos objetos pessoais.

Os beneficiários da SulAmérica contam com diversos recursos no combate ao novo coronavírus por meio do aplicativo. Saiba mais no hotsite sulamerica.com.br/coronavirus

 

Artigos relacionados:

Não Descuide de Outras Viroses Durante a Pandemia

Novo Coronavírus: perguntas e respostas

COVID-19: Fato ou Fake?

Voltar