Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

//
-
Clínicas disponíveis para algumas localidades de São Paulo/SP. Indique no campo "Observações" a localidade de sua preferência: Freguesia do Ó, Indianópolis, Lapa, Paraíso, Pinheiros, Santana, Sta Cecília, Sta Cruz , Sto Amaro, São Judas, São Miguel, Tatuapé
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Coronavírus: mantenha sua saúde mental a salvo Epidemias

Home > Matérias > Epidemias > Coronavírus: mantenha sua saúde mental a salvo

Sua Saúde mental a salvo
A pandemia de COVID-19 obrigou milhões de pessoas no mundo inteiro a respeitar o isolamento social recomendado pelos órgãos oficiais da saúde. Mas a maioria não está preparada para lidar com o estresse e a ansiedade
– que podem ser ainda mais comuns em quem está sozinho e tem de encarar a solidão - do recolhimento em casa e pelo medo da doença e da crise econômica.

Quem tem filhos, ainda têm de entreter as crianças
ao mesmo tempo que tentam dar conta do trabalho, já que muitas empresas adotaram o sistema de home office. Por isso, cuidar do bem-estar também deve entrar na rotina. Separamos algumas das medidas sugeridas pela Organização Mundial da Saúde
para a população manter a saúde mental durante a pandemia.


Cuidados com você  

Para manter a produtividade no trabalho e atender às necessidades de quem depende de você, primeiro cuide de seu próprio bem-estar:

Mantenha uma rotina e hábitos saudáveis. Dentro do possível, estabeleça uma rotina dentro de casa. Acordar e dormir no horário de costume, não passar o dia todo de pijama e respeitar as principais refeições são formas de elevar a produtividade e o bem-estar. Além disso, siga uma alimentação saudável, tome bastante água e faça algum tipo de exercício físico. Tudo isso ajuda a reforçar o sistema imunológico e contribui para a saúde mental. Assista ao noticiário apenas duas vezes ao dia. O excesso de informações sobre o avanço da doença e a ênfase no número de infectados e mortos no mundo alimentam a ansiedade e espalham pessimismo, prejudicando a saúde mental. Faça melhor: dê um descanso para sua mente, medite, leia um romance, assista a uma comédia. Fazer coisas que dão prazer é muito importante nesse momento. Fique conectado com quem você ama. O isolamento social obriga as pessoas a ficar longe dos familiares e amigos, mas a tecnologia pode encurtar essa distância. A OMS incentiva manter contato por meio de e-mails, ligações, redes sociais e videoconferências, como forma de aproximar as pessoas nesse momento de crise. Ajude quem está ao seu redor. Mesmo no período de isolamento, faça o que puder para amenizar a solidão e promover o bem-estar de outras pessoas. Dá para você ser prestativo de longe.Muitas pessoas com menos de 40, 50 anos, que moram em condomínios residenciais, têm se oferecido, por exemplo, para fazer compras e ir a farmácia para os vizinhos mais velhos.


Cuidados com crianças e idosos

Os pequenos podem ficar cheios de dúvidas e ansiosos pelo fato de não poder brincar com os amigos ou ir à escola. Já os idosos sofrem com a solidão do isolamento e o medo aumentado de infecção pela doença. Os cuidados para essas duas gerações inclui desde conversas honestas sobre o assunto até ajuda para as compras.


Crianças

  • As informações sobre a doença e o que está acontecendo no mundo devem ser transmitidas para as crianças, usando a linguagem mais adequada de acordo com a idade delas As conversas em família são importantes para que as preocupações delas também sejam ouvidas.  

  • Os pequenos devem ser estimulados a expressar os sentimentos a partir de brincadeiras criativas e tarefas lúdicas. 

  • Os adultos devem ajudá-los a manter contato com amigos e familiares por meio de videochamadas.


Idosos


  • O suporte emocional frequente às pessoas mais velhas, mesmo a distância, é tão importante quanto receber os sentimentos deles com empatia. 

  • As informações sobre a doença devem ser passadas de forma simples e didática. Os idosos também precisam receber orientações sobre as técnicas de prevenção e de que forma podem contribuir para evitar a disseminação.

  • A ajuda de adultos e adolescentes para realizar tarefas externas, como compras no mercado ou na farmácia, garante que os idosos permaneçam em suas casas.

 

Medidas para reduzir o pânico

O otimismo e a esperança podem ajudar a amenizar o medo da pandemia.

  • Evite classificar os infectados com o coronavírus de “vítimas” ou “doentes”. Dizer que são “pessoas que estão com COVID-19”, segundo a OMS, pode ajudar a conter o pânico. 

  • Compartilhe histórias positivas. Qualquer caso de cura da infecção pelo coronavírus deve ser divulgado para elevar a esperança e diminuir a preocupação das pessoas.



Profissionais da saúde

E os profissionais da saúde?

Médicos, enfermeiros, assistentes e outros profissionais da área da saúde que estão na linha de frente do combate ao coronavírus devem redobrar os cuidados com a saúde mental. Lidar com a ansiedade dos pacientes e de seus familiares, além do trabalho exaustivo em turnos muito longos, aumenta o estresse físico e emocional. A OMS tem recomendações especiais para esses profissionais.

  • Administrar o estresse e outros sentimentos negativos a partir de conversas com pessoas de confiança ou recorrendo ao acompanhamento psicológico.

  • Seguir uma boa alimentação e descansar entre os turnos de trabalho.

  • Manter a conexão com as pessoas que ama, mesmo que de forma virtual, principalmente no caso de profissionais que precisam ficar isolados da família.

  • Assegurar-se de que está passando as mensagens de forma clara, confiável e responsável para os pacientes, familiares e amigos, também auxilia a manter o bem-estar e a tranquilidade.



Cuidar da saúde mental é fundamental para que o estresse e a ansiedade não dificultem a adaptação à nova rotina, necessária para conter a pandemia. 


Conheça a
Iniciativa Única Mente, do Programa Saúde Ativa, para beneficiários SulAmérica. O programa oferece apoio profissional para prevenir, diagnosticar e tratar doenças que afetam a saúde mental, como ansiedade, depressão e síndrome do pânico.


Voltar