Participe das Iniciativas

O SulAmérica Saúde Ativa foi feito para você! Por isso trazemos iniciativas
para uma vida mais saudável, que oferecem cuidados por completo.

Iniciativa desejada

Dados pessoais

/ /
-
*Campos obrigatórios

As Iniciativas Saúde Ativa estão disponíveis para os beneficiários SulAmérica Saúde e a participação está sujeita às condições de elegibilidade. Para conhecê-las, clique em Pra Você > Iniciativas.

Se preferir, entre em contato via e-mail saudeativa@sulamerica.com.br ou pela Central de Atendimento
SulAmérica 0800-970-0500 para tirar suas dúvidas ou participar da iniciativa.

Recebemos seu interesse em participar do Saúde Ativa! Em breve entraremos em contato.
OK

Matérias



Alerta para surto de sarampo no Brasil Epidemias

Home > Matérias > Epidemias > Alerta para surto de sarampo no Brasil

  Recentemente, a Organização Mundial da Saúde emitiu um comunicado de alerta sobre o crescente número de casos de sarampo no Brasil, principalmente nos estados do Amazonas e Roraima, que fazem divisa com a Venezuela - país que está no topo da lista de casos confirmados da doença.

 

 Especialistas afirmam que com a imigração de venezuelanos para o país, houve um aumento da circulação do vírus da doença em território brasileiro. Em 2016, o Brasil havia recebido um certificado da Organização Pan-Americana de Saúde de erradicação da doença.

 

O que é sarampo

 

O sarampo é uma doença infecciosa aguda, extremamente contagiosa e comum na infância. Pode levar a infecção nos ouvidos, pneumonia, convulsões, lesão cerebral e até morte. Entre os principais sintomas estão febre, irritação ocular, corrimento nasal e manchas avermelhadas pelo corpo.

 

Como é transmitido

 

A transmissão do sarampo ocorre pelo ar, por meio de tosse, espirros, fala ou respiração.

 

Caderneta de vacinação em dia

 

Por ser uma doença altamente contagiosa, a vacinação é a forma mais eficaz de prevenção. No Brasil, estão disponíveis dois tipos de vacinas: a tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola) e a quádrupla viral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela). Ambas estão disponíveis na rede pública de saúde.

Entre as crianças pequenas, a primeira dose da tríplice viral deve ser aplicada aos 12 meses de idade; e aos 15 meses uma dose da quádrupla viral.

Crianças mais velhas e adultos (até 29 anos) que não foram vacinados antes devem se imunizar com duas doses da tríplice viral, com intervalo de três meses.

Adultos (maiores que 30 anos até 49 anos) devem receber apenas 1 dose, para aqueles que nunca foram vacinados antes.



Voltar