Matérias



Mitos e verdades sobre o leite

Home > Matérias > > Mitos e verdades sobre o leite

O leite é um dos alimentos mais completos em termos de nutrição. Ele contém fontes importantes de minerais, vitaminas e proteínas de alto valor. No entanto, de uns anos para cá o seu consumo tem se tornado polêmico, principalmente no que se refere à ingestão entre os adultos.

Enquanto alguns especialistas defendem o consumo diário do leite para suprir uma série de nutrientes que o organismo precisa, outros alegam que existem malefícios relacionados a ele, como o surgimento de alergias, intolerância à lactose, aumento da produção de secreções mucosas, catarata, entre outros problemas de saúde.

A seguir, esclarecemos algumas dúvidas comuns que rodeiam o assunto, com base no livro “Leite para adultos: mitos e fatos frente à ciência”, escrito pelas pesquisadoras Adriane Elisabete Antunes de Moraes, docente do curso de Nutrição da Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA), da Unicamp (SP), e Maria Teresa Bertoldo Pacheco, do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL). O material é resultado de uma revisão da literatura científica sobre o tema.  


Mitos e verdades sobre o leite


Adultos não devem consumir leite. 

Mito. O leite de origem animal é ainda uma das fontes mais importantes de cálcio e seu consumo está relacionado a diversos benefícios, entre eles a prevenção da síndrome metabólica e do diabetes tipo 2, redução da pressão arterial e da osteoporose.

O que ocorre é que à medida que se envelhece o organismo diminui a produção de uma enzima chamada lactase, essencial para a digestão do leite. Sem essa enzima, o açúcar do leite (lactose) permanece intacto no organismo, trazendo alguns sintomas nada agradáveis, como gases, diarreia, inchaços, dores abdominais entre outros.

Essa condição é chamada de intolerância à lactose. No entanto, isso não quer dizer que todas as pessoas se tornarão intolerantes à lactose. Só se deve substituir os alimentos com lactose aqueles que apresentam os sintomas severos do problema.

 
O homem é o único animal que continua consumindo leite na fase adulta.

Mito. Muitos animais mamíferos adultos também apreciam o leite desde que lhes seja ofertado. O desmame feito pelas fêmeas das diversas espécies ocorre não porque o leite deixou de ser adequado para a cria, mas sim para que a cria passe a ingerir outros alimentos. Assim, a fêmea poupa energia para um novo processo de gestação.

 

Alergia é diferente de intolerância à lactose.

Verdade. A alergia ao leite está relacionada a uma resposta exagerada do sistema imunológico contra a proteína do leite. O organismo entende essa proteína como um agente estranho que precisa ser combatido e desencadeia reações alérgicas, como diarreia e urticária. O problema costuma surgir no início da vida e, em geral, desaparece entre os três e quatro anos de idade, porém, pode prevalecer até mesmo em adultos.

 

O homem, assim como qualquer outro animal, pode obter todo o cálcio de que necessita unicamente por ingestão de vegetais.

Mito. A biodisponibilidade de cálcio nos vegetais é pequena em comparação com o leite e existem ainda alguns fatores antinutricionais que dificultam a absorção desse mineral, o que torna seu aproveitamento mais difícil. Três copos do tipo americano de leite, por dia, são suficientes para atender cerca de 75% das recomendações nutricionais. Para obter as mesmas quantidades de cálcio, sem a ingestão do leite, é necessário o consumo de um grande volume de vegetais, o que não é frequentemente observado na dieta da maioria das pessoas.

 

Leite pode causar catarata.

Verdade na presença de determinadas doenças genéticas. Em pessoas que possuem galactosemia e deficiência do galactoquinase, doenças genéticas caracterizadas pela incapacidade do organismo de metabolizar a galactose (açúcar monossacarídeo, obtido a partir da hidrólise da lactose – o açúcar natural do leite) em glicose, ocorre um acúmulo de substâncias que podem levar ao desenvolvimento da catarata.

 

Leite pode engordar.

Parcialmente verdade. O leite na versão integral é o mais indicado para crianças a partir dos dois anos de idade por ser importante para a formação do sistema nervoso e para o crescimento. No entanto, ele possui altas taxas de gorduras saturadas. Para quem deseja emagrecer ou precisa controlar os níveis de colesterol, o ideal é substituir o leite integral pelo semidesnatado, que possui até 50% de redução de gorduras.

 

Leite pode aumentar a produção de muco.

Mito. Até o momento, estudos não encontraram conexão entre o leite e a formação de muco.

Voltar